CASA DOS CICLISTAS

VINTZ SANTA CRUZ/RN

agro

MARMORARIA GRANFORTH

SANTA CRUZ CLÍNICA VETERINARIA

SANTA CRUZ CLÍNICA VETERINARIA

Museu Rural Auta Pinheiro Bezerra

Delícia do Trairi

Delícia do Trairi

CURTA NO FACEBOOK!




segunda-feira, 1 de novembro de 2021

Covid: Casos aumentam em outubro, mas RN registra menor número de mortes desde abril de 2020




O Rio Grande do Norte registrou um aumento de casos por covid-19 ao longo do mês de outubro na comparação com o mês de setembro. Por outro lado, o estado teve o menor número de mortes provocadas pela doença desde abril de 2020 – no início da pandemia.

O mês terminou neste domingo (31) com um aumento do total de casos confirmados pela Secretaria de Saúde do Estado, que passou 3.586 em 30 dias de setembro para 5.065 casos nos 31 dias de outubro – uma diferença de quase 1,5 mil testes positivos a mais.

Por outro lado o número de mortes caiu no período. Em setembro, o estado registrou 70 mortes provocadas pela Covid-19. Em outubro o número caiu para 60. Foi o mês com menor número de óbitos desde abril do ano passado, quando foram registradas 56 mortes causada pelo novo coronavírus.

No domingo (31), a Sesap confirmou mais 349 casos de covid no RN e uma morte. Esse foi o maior número de novos casos registrados em 24 horas desde 19 de setembro deste ano. Com isso, o total de infectados durante toda a pandemia chegou a 373.684 potiguares.

Desde março de 2020, 7.397 pessoas morreram no estado por causa do doença.

Vacinação

Os especialistas atribuem a redução das mortes nos últimos meses à vacinação. Mais de 2,5 milhões de potiguares receberam pelo menos a primeira dose da vacina. O número representa mais de 70% da população do estado.

Quase 1,8 milhão de potiguares estão imunizados com as duas doses da vacina, o que representa cerca de 50% da população. Já a dose de reforço foi aplicada em menos de 159 mil potiguares, menos de 5% da população potiguar.

“Quando você está vacinado e adoece, a chance de que isso seja um caso leve é muito forte. Aquela covid que normalmente teria um quadro clássico no não vacinado passa a ter um quadro atenuado no vacinado”, afirmou o infectologista Ion de Andrade.

G1RN







Nenhum comentário: