VINTZ SANTA CRUZ/RN

MARMORARIA GRANFORTH

agro

CASA DOS CICLISTAS

CURTA NO FACEBOOK!




SANTA CRUZ CLÍNICA VETERINARIA

SANTA CRUZ CLÍNICA VETERINARIA

quinta-feira, 30 de abril de 2020

Santa Cruz: Caixa registra grande aglomeração de pessoas na manhã de hoje (30)


A Agência da Caixa Econômica de Santa Cruz-RN, já registra no começo da manhã desta quinta-feira (30), uma grande aglomeração de pessoas, que dá volta no quarterão.

A procura do povo pelo serviço na Caixa continua sendo para receber o bolsa família e o auxilio emergencial pago pelo Governo Federal neste período de pandemia de Coronavírus.

Apesar dos 11 casos confirmados de Coronavírus na Capital do Trairi, as pessoas parecem não estarem nem aí, para o perigo do contágio doença. Fotos: Hénio Marques!







Bares, discotecas e ginásios mantêm-se encerrados em maio

 


O ministro da Economia, Pedro Siza Vieira, anunciou, na noite de ontem quarta-feira (29), em entrevista à SIC Notícias, que os bares, discotecas e ginásios vão manter-se fechados durante o mês de maio.
De acordo com o governante, a retoma da atividade econômica será feita de forma gradual, sempre tendo em conta a evolução da pandemia.
“Ao fim de uma quinzena poderemos avaliar se este levantamento gradual das restrições determinou ou não um aumento descontrolado do nível de propagação da pandemia. Se, de facto, formos tão disciplinados na circulação pública como temos sido no confinamento, se conseguirmos assimilar novos hábitos, conseguiremos então verificar se isso foi suficiente” para manter a epidemia sob controlo. Em caso afirmativo, avança-se para a fase seguinte”, explicou, adiantando, que o Governo não vai levantar todas as restrições no próximo mês.
“Não vamos levantar todas as restrições no mês de maio […]. Vão continuar encerrados equipamentos como bares, discotecas, ginásios, um conjunto de equipamentos e eventos onde o convívio e a intensidade de contactos seja maior”, acrescentou o governante que assume a pasta da economia.
Sobre o plano do Governo para a retoma da atividade Siza Vieira sublinhou que “vamos começar a testar este mês a nova forma de circular, comprar e trabalhar, mas isso tem de ser feito com muita cautela”.
Segundo o ministro, as associações com quem o Governo tem contactado “vão assegurar a proteção dos trabalhadores e dos clientes”.
“O que tenho visto é um imenso cuidado, não só em adotar regras muito restritas de proteção dos trabalhadores, como também dos consumidores”, disse.






Número de mortes no RN por Covid-19 sobe para 54 e casos confirmados já somam 1.086



O número de mortos no Rio Grande do Norte aumentou e chegou a 54, de acordo com a Secretaria de Saúde Pública do Estado (Sesap). Os casos confirmados também cresceram de forma expressiva: são 1.086. É o pior dia da pandemia no RN, com 229 novos casos confirmados e 6 óbitos a mais.

Os casos suspeitos já são 4.730, além de 3.619 descartados. Os recuperados somam 352. Nove óbitos estão em investigação.

Alto do Rodrigues, no Vale do Açu, confirmou a primeira morte por Covid-19, de acordo com a Sesap. Agora, 22 municípios do RN registram óbitos por causa da doença.

Mossoró é a cidade do estado com mais mortes (13), seguida de Natal (12).
Mortes

As mortes no RN foram registradas nas seguintes cidades:
Mossoró: 13 mortes
Natal: 12 mortes
Parnamirim: 3 mortes
Canguaretama: 3 mortes
Assu: 2 mortes
Tenente Ananias: 2 mortes
São Gonçalo do Amarante: 2 mortes
Ceará-Mirim: 2 mortes
Nísia Floresta: 1 morte
São José de Mipibu: 1 morte
Macaíba: 1 morte
Carnaúba dos Dantas: 1 morte
Cerro Corá: 1 morte
Taipu: 1 morte
Lagoa de Pedras: 1 morte
Apodi: 1 morte
Encanto: 1 morte
Touros: 1 morte
São Rafael: 1 morte
Alexandria: 1 morte
Ipanguaçu: 1 morte
Alto do Rodrigues: 1 morte
* Outras localidades: 1 morte




A imagem pode conter: texto

“Não subestimem como eu fiz”, diz Sikêra Jr. após testar positivo para coronavírus





© Reprodução/RedeTV! Sikêra Jr. reapareceu na TV por vídeo
Apresentador do ‘Alerta Nacional‘, da RedeTV!, Sikêra Jr. fez uma aparição por vídeo no programa dessa quarta-feira (29) e afirmou ter testado positivo para a Covid-19. Ele ainda aproveitou o espaço para desmentir a informação de que estaria com os pulmões comprometidos.

Sikêra contou que fez o primeiro teste e que deu negativo, porém, revelou na sequência que a contraprova deu positivo. Na última semana, o apresentador passou mal e precisou ser substituído às pressas.

“É uma surpresa, né? A gente acha que só pega fogo na casa do vizinho. E a vida me deu essa lição. A gente não acredita enquanto não acontece com a gente, né? Enquanto acontece com o nosso vizinho, normal. Mas quando acontece conosco, a história é outra. E é isso. Estou aqui, apesar de tanta especulação”, disse.

O apresentador ainda mandou um recado para os brasileiros: “Não subestimem o coronavírus, como eu fiz, é mais sério do que eu imaginava”.

“Agora estou bem, estou bem acompanhado. Estou tomando a medicação, seguindo à risca o que eles me orientaram. Pedi a Deus para que eu passe por essa. É um vírus longo, e a Ciência está brigando para conseguir uma fórmula nova”, finalizou.




Nenhuma descrição de foto disponível.

Juntos há 47 anos, casal morre no mesmo dia de Covid-19

 


Mary e Wilford Kleper passaram 73 anos da vida juntos, literalmente na alegria e na tristeza, na saúde e na doença. Coincidentemente, a despedida do casal também foi em conjunto. Os dois foram diagnosticados com a Covid-19 e precisaram ser internados para tratar a doença. Porém, as complicações vieram e ambos faleceram em decorrência do novo coronavírus.

A diferença de uma morte para a outra foi de apenas 6 horas, de acordo com informações de seus familiares. O primeiro a partir foi Wilford. O casal travou uma batalha pela recuperação no hospital em Wisconsin, nos Estados Unidos.

A causa do contágio é desconhecida pela família. Porém, o fato de terem sido diagnosticados juntos fez com que eles cumprissem o isolamento lado a lado, segundo informações apuradas pela CNN norte-americana e Tmj4.

Já o resto da família matou a saudade durante a internação por meio de chamadas de vídeos, como explicou Natalie Lameka, neta do casal e uma das últimas pessoas a visita-los. “Eles estavam de mãos dadas e isso foi de partir o coração, mas também de ouvir o coração. Ficamos muito agradecidos por estarem juntos e conscientes de que estavam juntos”, descreveu a jovem.

Nos Estados Unidos, até esta quarta-feira (29), mais de 1 milhão de pessoas testaram positivo para a doença, 123 mil estão recuperadas e 60.983 vieram à óbito.




O colapso previsto por Mandetta começa a se tornar realidade

© Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil O ex-ministro Luiz Henrique Mandetta: não era exagero

 O ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta, que pilotou o combate à pandemia do novo coronavírus até duas semanas atrás, ganhou popularidade durante a crise, em parte pela maneira didática com que explicava a doença e as formas de se proteger dela. Mas o ex-ministro também ganhou confiança de boa parte da população (64% discordaram de sua demissão) por tratar o problema de forma muito transparente. Muitas das projeções feitas por ele sobre o avanço da pandemia estão se confirmando hoje.

Nos últimos dias, uma das previsões mais preocupantes feitas por Mandetta vêm tomando contornos de realidade: o colapso do sistema de saúde. De acordo com o ex-ministro, o “apagão sanitário” ocorreria no final de abril. “Claramente, em final de abril nosso sistema de saúde entra em colapso”, disse Mandetta em 20 de março, em uma reunião com o presidente Jair Bolsonaro e um grupo de empresários. Em seguida, o então ministro explicou: “O que é um colapso? Você pode ter o dinheiro, o plano de saúde, mas simplesmente não há sistema para você entrar”.






Agrotrairi: Chegou pintinhos várias raças, de excelente qualidade todos




COMUNICADO UNIÓTICA



Caros clientes, mediante as determinações do Decreto Estadual
n° 29.634, de 23/04/2020, solicitamos o uso de máscaras
para circulação em nosso estabelecimento.
Tendo em vista a redução do risco de contágio do novo coronavirus,
essa medida seguirá por tempo indeterminado.
Agradecemos a compreensão!
Uniótica

Santa Cruz: Prefeitura confirma 11° caso de Coronavírus (Covid-19)

 
 

quarta-feira, 29 de abril de 2020

Santa Cruz: Hospital Aluízio Bezerra continua com apenas dois respiradores



Apesar do avanço da pandemia de Coronavírus (Covid-19), o Hospital Regional Aluísio Bezerra, na cidade de Santa Cruz-RN, continua com apenas dois respiradores, que serve para amenizar os sintomas do Coronavírus.

Para ser ter uma ideia, na Região do Trairi tem atualmente 16 pacientes infectados pelo (Covid-19) e os dois respiradores não dar para atender a demanda da Região.

Como ainda não existe remédio para o Covid-19, a recomendação da saúde, é que as pessoas use máscara, faça higienização com álcool em gel e lave as mãos com água e sabão. E Fique em Casa.






No RN, 35% das cidades têm casos confirmados de coronavírus



O Rio Grande do Norte tem 857 pessoas diagnosticadas com coronavírus e 48 mortes pela doença, de acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesap) nesta terça-feira (28). No total, 59 dos 167 municípios do estado têm casos confirmados da Covid-19.

Natal, com 402, e Mossoró, com 117, são as cidades com os maiores números de casos. Parnamirim e São Gonçalo do Amarante, cidades da Grande Natal, têm 97 e 42 casos, respectivamente. Assu, na região Oeste, possui 31 casos. G1 RN! 







De cada cinco pessoas que procuraram a Caixa, apenas uma tinha direito de sacar auxílio de R$ 600; trabalhador deve ficar atento ao calendário de pagamento

 


De cada cinco pessoas que procuraram as agências da Caixa Econômica Federal na segunda-feira (dia 27), apenas uma tinha direito ao saque emergencial de R$ 600 naquela data, segundo a própria instituição financeira. No primeiro dia de pagamento do benefício em dinheiro, apenas os trabalhadores que tiveram poupanças sociais digitais abertas pela instituição e que nasceram em janeiro e fevereiro puderam sacar o valor, assim como os beneficiários do Bolsa Família cujo Número de Identificação Social (NIS) termina em 7.
Segundo a Caixa, muitas pessoas correram às agências antes do dia marcado para retirada do benefício. Por isso, é importante estar atento às datas corretas, para evitar aglomerações. Confira o calendário abaixo.

Estudo prevê que pandemia no Brasil chegue ao fim em agosto




Um estudo da Universidade Nacional de Singapura, a maior e mais antiga do país, prevê quando a pandemia de Covid-19 pode ter fim em cada país e no mundo. No Brasil, por exemplo, a doença seria controlada no dia 23 de agosto. Já em nível global, o término aconteceria em 1º de dezembro deste ano.
O infectologista Carlos Fortaleza, membro da Sociedade Paulista de Infectologia e professor da Faculdade de Medicina da Unesp, afirma que esse tipo de estudo é interessante, porém, traz dados imprecisos que não podem ser encarados como a “palavra final”
“A situação é absolutamente imprevisível quando você tem um número de variáveis tão grande”, destaca o professor da Unesp.
“O grande problema de modelos matemáticos e simulações é acertar os parâmetros que influenciam na transmissão do vírus. Essas novidades fazem com que as coisas mudem, então é muito difícil conseguir uniformizar [as previsões]”, pondera o especialista.
A transmissibilidade do vírus, a densidade demográfica de cada país e as medidas colocadas em prática com o objetivo de frear a Covid-19 são exemplos de aspectos relevantes que ficam de fora desse tipo de projeção, segundo o infectologista.
Em entrevista ao R7, o médico infectologista João Prats, da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo, fez essa mesma análise. Segundo ele, existem diversos fatores que podem influenciar na curva de contágio da doença, que indica o número de novas pessoas infectadas num determinado período.
O isolamento social, a identificação de pessoas doentes e a imunidade de quem já pegou o vírus uma vez são aspectos que podem achatar essa curva.
A estabilidade pode acontecer, por exemplo, quando uma vacina for criada para o novo coronavírus. “Chega o momento em que todo mundo é vacinado. Assim, uma pessoa passa a infectar menos pessoas, até que a doença acabe”, esclarece.
Fortaleza acrescenta que um ponto interessante é que essas análises fornecem uma linha de pensamento que podem orientar a criação de políticas públicas.
De acordo com o professor, será possível dizer que a pandemia de Covid-19 acabou quando a doença estiver sob controle. “Isso significa que ainda haverá casos, mas eles serão esporádicos e vão acontecer em alguns lugares específicos”.
“O ideal é que ela seja erradicada, Isso acontece quando não existem mais casos e nem possibilidade de reintrodução da doença [na população]”, analisa. “Mas ela pode ser controlada mesmo sem ser erradicada”, conclui.






Atendimentos do Samu sobem 230% no RN



O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) Metropolitano atendeu 86 pacientes suspeitos de Covid-19 até o último domingo (26). Em comparação com o mês de março do mesmo ano, o crescimento foi de 230% no Rio Grande do Norte, quando foram registradas 26 ocorrências.

E o Samu Metropolitano auxilia 165 municípios potiguares, visto que apenas Natal e Mossoró possuem o próprio serviço de atendimento. Na capital, os atendimentos do Samu Natal aumentaram 62% no comparativo anual do mês de março. Em 2020, foram 8.103 ocorrências, ante 4.989 de 2019.

Serviço de Atendimento Móvel de Urgência atendeu 86 pacientes com suspeita de Covid-19 até o dia 26 de abril em todo o RN.






AGRO TRAIRI: COMUNICADO AOS NOSSOS CLIENTES

A imagem pode conter: texto

Sistema Prisional do RN vai produzir 25 mil máscaras para ajudar no combate à Covid-19



A Secretaria da Administração Penitenciária (Seap) deu início a um projeto de ressocialização através da costura industrial, na qual as internas da Penitenciária João Chaves vão produzir máscaras para serem distribuídas à população carente. Toda produção será encaminhada para a Rede Solidariedade RN Mais Protegido, que fará a doação à população carente.

Nessa primeira etapa serão produzidas 25 mil máscaras para ajudar na prevenção e combate ao novo Coronavírus (Covid-19). Outras duas unidades, com igual capacidade de produção, entrarão em operação no início de maio.

A mão de obra conta com 25 internas capacitadas no primeiro semestre desse ano em curso de costura industrial com o Senai.






Fátima Bezerra: “O nosso foco é salvar vidas. A economia a gente recompõe depois, a aula a gente repõe depois”



Em entrevista à imprensa na terça-feira governadora Fátima Bezerra voltou a defender a necessidade do isolamento social como forma de combate ao Coronavírus. De acordo com Fátima o comportamento adotado pelo potiguar vem achatando a curva da doença.

“Claro que nosso foco é salvar vidas, até porque o emprego a gente recupera depois, a aula a gente repõe depois e a economia a gente recompõe depois. Mas a vida não. Se a gente perde a vida de um ente querido, de um filho, de um irmão, de um amigo essa ida não voltará jamais. A governadora não tem nenhuma dúvida de que, todos os focos das nossas ações tem que continuar voltando para cuidar da saúde da população do RN para salvar vidas”.

Dentro do contexto da sobrevivência das pessoas e a manutenção dos empregos, Fátima explicou que a ação do Governo foi cobrar do Governo Federal iniciativas, “afinal de contas os estados não tem capacidade de produzir moeda, de fazer política macroeconômica, quem pode é o Governo Federal. E no início dessa crise os governadores do Nordeste lideraram um movimento junto ao Congresso Nacional e o presidente da República para que fosse adotada a renda básica de cidadania, que é justamente o auxílio-emergencial que chegou”.






Profissionais da saúde são 26% do total de infectados com Covid-19 no RN



A Secretaria de Saúde Pública do Rio Grande do Norte (Sesap) registrou 224 profissionais da saúde com resultado positivo para Covid-19 até esta segunda-feira (27), representando 26% dos 857 casos confirmados no estado. Destes, 126 trabalhadores estão curados.

Levantamento da Sesap apresenta 31 médicos, 21 enfermeiros e 59 técnicos ou auxiliares de enfermagem infectados com a doença causada pelo novo coronavírus. Estes profissionais representam 49% do total. Outras 59 (26%) pessoas não tiveram a função informada.

Os demais casos estão divididos em outras 26 categorias, como assistente social, nutricionista e fisioterapeuta.

A Sesap ressalta que os profissionais acometidos pela Covid-19 no início da pandemia tiveram histórico de viagem ou contato fora do ambiente de trabalho com casos confirmados.

Estes números foram cobrados pelo Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Rio Grande do Norte (Sindsaúde RN), por meio de ofício, à Sesap, pois “a vulnerabilidade dos trabalhadores da saúde está diretamente relacionada às suas condições de trabalho, a exemplo da falta de equipamentos de proteção individual”, declarou Breno Abbott, Coordenador do Sindsaúde RN, no último dia 23.

O Sindsaúde entrou com uma ação judicial, no início de março, cobrando Equipamentos de Proteção Individual (EPI) adequados e suficientes e criou um canal de denúncias para que os trabalhadores possam denunciar a falta de EPI’s nos locais de trabalho.

O sindicato informa que está orientando os trabalhadores da saúde a se recusem de desenvolver atividades profissionais na falta de material ou equipamentos de proteção individual e coletivo definidos na legislação específica, conforme preceitua o Código de Ética da Enfermagem, em seu art. 22, bem como as normas de segurança do trabalho.






Covid, Corona e Lockdown, nomes da moda na Ásia

© Abhisek SAHA Manju Bauri descansa ao lado do filho, Lockdown, em sua casa temporária no nordeste da Índia
 
Corona Kumar, Covid Marie, entre outras variações: na Ásia cada vez mais pais dão a seus recém-nascidos um nome com referência ao coronavírus, visivelmente indiferentes às consequências de sua escolha a longo prazo.

Quando Tabesa Hill deu à luz em 13 de abril em Bacolod, Filipinas, decidiu, de acordo com o pai da menina, John Tupas, de 23 anos, que a filha a filha deveria ter um "nome que nos recordasse que escapamos da COVID-19". Por este motivo, a recém-nascida virou Covid Marie.

Poucas semanas antes, duas mães do sudeste da Índia tiveram a mesma ideia. Algumas pessoas destacaram que a ideia veio de um médico do hospital onde nasceram as crianças. Uma se chama Corona Kumar e a outra Corona Kumari.

"Eu disse que ajudaria a sensibilizar (a população) sobre a doença e a acabar com os preconceitos a respeito", confirmou o médico, S.F. Basha. "Para minha surpresa, aceitaram", revelou.

Um casal de migrantes do nordeste da Índia, que ficou bloqueado a milhares de quilômetros de sua residência no estado de Rajasthan, optou pelo nome "Lockdown", que em inglês significa confinamento, para seu filho.

"Nós demos o nome Lockdown para recordar todos os problemas que enfrentamos durante este período difícil", explicou o pai da família à imprensa local.




A imagem pode conter: uma ou mais pessoas

“Vamos ter um luto pela falta de consciência. Muitos vão se arrepender de não ter ficado em casa”

© Leo Correa (AP) Rodrigo Bessa, à esquerda, no enterro da mãe, Edenir, suspeita de ter contraído coronavírus, no Rio.

 “Como você está lidando?”, pergunta a médica Ana Cláudia Quintana Arantes, geriatra e especialista em cuidados paliativos. Em tempos de pandemia de coronavírus, a pergunta “tudo bem?”, costumeira em um cumprimento, nunca foi tão retórica. Neste momento em que o mundo contabiliza, dia a dia, o crescente número de infectados e mortos em decorrência da doença, um terço da população mundial está em casa em quarentena e muito se fala em perdas econômicas adiante, a médica contabiliza as perdas emocionais.

Especialista em cuidar de quem está muito próximo ao final da vida, ela já prevê que a humanidade passará por três tipos de luto. Além do luto real, das perdas objetivas, ela acrescenta o luto antecipatório —a percepção de que a morte está chegando. “Além disso, vamos ter um luto pela falta de consciência. Muitas pessoas vão se arrepender de não ter tido cuidado antes e vão pensar 'eu poderia ter ficado em casa, poderia ter convencido as pessoas a ficarem em casa”, afirma. “Haverá arrependimento coletivo também”, aposta.

Desde que a pandemia se instalou, o número de mortos já passaram de 210.000 ao redor do mundo e mais de 3 milhões de pessoas ficaram doentes. No Brasil, o mortos passam de 4.500 nesta segunda-feira. Há países, no entanto, que estão se mostrando mais eficazes em suas políticas de combate à doença, como a Coreia do Sul ou a Alemanha, que realizam testagem em massa na população. Mas em outros lugares, os símbolos de luto e dor são os mais fortes desde a Segunda Guerra Mundial. Na Itália, que começa a ver a diminuição de casos, mas ainda contabiliza duas centenas de mortos por dia, as imagens de caminhões transportando corpos para serem enterrados em outras regiões por causa do colapso dos cemitérios da Lombardia se tornaram a prova da agressividade da pandemia. Na Espanha, uma pista de patinação no gelo dentro de um shopping se transformou em um imenso morgue para receber os corpos. Necrotérios temporários, hospitais de campanha em campos de futebol, despedidas dos parentes feitas por meio de uma tela de celular, já que ninguém pode se aproximar de uma pessoa infectada. A pandemia do novo coronavírus que se alastrou por quase o mundo inteiro aponta para uma imensa cicatriz que será formada por cenas surreais e a sensação de um luto coletivo.

Para a médica, que é autora de dos livros A morte é um dia que vale a pena viver (Sextante, 2019) e Histórias lindas de morrer (Sextante, 2020), o momento de uma pandemia é peculiar também sob o ponto de vista da morte. “Num cenário de pandemia, não há condição de dar sentido ao processo [da morte]. As pessoas vão morrer sozinhas, ninguém vai poder pegar na mão, pois as visitas são proibidas”.

A despedida também já está sendo solitária. No Brasil, os casos confirmados de óbitos pela covid-19 devem obedecer a um protocolo que prevê a não realização de velórios, os corpos devem ser enterrados com os caixões lacrados e a uma distância dos familiares, já que um corpo ainda pode transmitir o vírus até 72 horas após o falecimento. Por isso, além das mais de 4.500 pessoas que já morreram com a doença confirmada, até mesmo os casos suspeitos da doença, ou cuja morte se deu por para respiratória ou por razões não definidas, estão passando pelo mesmo processo. A despedida está sendo privada até mesmo àqueles que não confirmaram ter o vírus no corpo. Quem perde um parente que mora longe também encontra dificuldades de transporte para chegar a enterros e despedidas. Há ainda quem está preso longe de casa, num contexto de queda drástica no número de viagens aéreas internas e externas. “A experiência da dignidade no meio disso tudo [da pandemia] está difícil de ser encontrada”, afirma Ana Claudia Quintana.

No meio de previsões ainda tão nebulosas, a médica, enfim, responde à pergunta feita no início desta entrevista. “Como estou lidando? Ajudando a fortalecer as campanhas de solidariedade”, diz. “É o único jeito.”




A imagem pode conter: texto

Brasil supera China e chega a 5.017 mortes por coronavírus; são 474 nas últimas 24h, novo recorde

O Brasil registrou 474 mortes decorrentes do novo coronavírus nas últimas 24 horas, segundo dados atualizados nesta terça-feira, 28, pelo Ministério da Saúde. Com isso, o total oficial de vítimas da covid-19 no País chegou a 5.017, superando os números da China, marco zero da doença, que de acordo com a OMS já somou 4.643 mortes pelo vírus.

Com a atualização de hoje, o Brasil bateu novamente seu recorde de maior número de mortes por covid-19 registrados em um único dia. Já o número total de casos confirmados da doença no Brasil subiu de 66.501 para 71.886 , sendo 5.385 novos casos registrados de ontem para hoje.


Atualizado diariamente, o número de mortes registradas por covid-19 das últimas 24 horas não se refere efetivamente a quantas pessoas faleceram entre um dia e outro, mas sim ao número de mortes que tiveram o motivo de coronavírus confirmado nesse intervalo. Conforme mostrou reportagem do Estado, registros de óbito por covid-19 chegam a demorar um mês para serem confirmados.
São Paulo

Segundo informações divulgadas hoje em coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes, São Paulo registrou um recorde de mortes pela covid-19, com 224 óbitos, um aumento de 12% em relação ao número divulgado na segunda-feira, 27. Com isso, o Estado já totaliza 2.049 mortes, de acordo com a contagem estadual.

"Como não temos uma fila de testes, isso significa que esses novos casos foram confirmados e são desses dias, por agora", afirmou o secretário estadual da Saúde, José Henrique Germann.

De acordo com o balanço, 81% dos leitos de UTI na Grande São Paulo estão ocupados. No Estado, esse índice é de 61,6%. De acordo com Germann, 1.437 pessoas estão internadas em UTI. Em enfermaria, há 1.800 pacientes internados. A taxa de ocupação nesses leitos é de 44,5% no Estado e 70% na região metropolitana. 





É possível pegar covid-19 mais de uma vez? Esta e outras questões sobre imunidade a covid-19 ainda sem resposta

© Getty Images Sistema imunológico está no centro de algumas das questões mais importantes sobre o coronavírus

Podemos pegar o coronavírus mais de uma vez? Por que algumas pessoas ficam mais doentes do que outras? Uma vacina vai funcionar? Os passaportes de imunidade poderiam permitir alguns de nós voltar ao trabalho? Como vamos lidar com esse vírus a longo prazo?

O sistema imunológico está no centro de algumas das questões mais importantes sobre o coronavírus.

O problema é que sabemos ainda muito pouco sobre a relação entre os dois.

Como ficamos imunes ao coronavírus?

Nosso sistema imunológico é a defesa natural do nosso corpo contra infecções e se divide em duas partes.

A primeira está sempre pronta para entrar em ação assim que qualquer invasor estrangeiro é detectado. É conhecida como resposta imune inata e inclui a liberação de substâncias químicas que causam inflamação e glóbulos brancos que podem destruir as células infectadas.

Mas esse sistema não é específico para o coronavírus. Ele não aprenderá como nem nos dará imunidade ao vírus.

Em vez disso, precisamos da chamada resposta imune adaptativa. Trata-se de células que produzem anticorpos direcionados que podem aderir ao vírus para interromper sua multiplicação e células T que podem atacar apenas as células infectadas pelo vírus, denominadas resposta celular.

Isso leva tempo, estudos sugerem que demora cerca de 10 dias para que o corpo comece a produzir anticorpos que possam atingir o coronavírus — e os pacientes mais doentes desenvolvem uma resposta imunológica mais forte.

Se a resposta imune adaptativa for poderosa o suficiente, poderá deixar uma memória duradoura da infecção que nos protegerá no futuro.

Não se sabe se pessoas que têm apenas sintomas leves, ou nenhum, desenvolverão uma resposta imune adaptativa suficiente.

terça-feira, 28 de abril de 2020

Uso de máscaras será obrigatório em locais públicos em Santa Cruz; Em breve publicação de decreto


O prefeito Ivanildinho recebeu na tarde desta segunda-feira (27) 8 vereadores que compõe a Câmara de Santa Cruz para discutir medidas conjuntas de combate ao Coronavírus no município.

No encontro foram discutidas diversas questões e foram firmados compromissos mútuos para que o poder público e o Legislativo possam contribuir neste período de dificuldades.
Do encontro, ficou acertado que o prefeito Ivanildinho vai publicar um decreto sugerido pelos vereadores que exige da população o uso de máscaras em vias públicas e estabelecimentos públicos e privados, como forma de garantir segurança para a população e os profissionais que atendem nos locais.

O decreto deverá ser publicado em breve.

O prefeito Ivanildinho agradeceu o empenho do Legislativo e se colocou a disposição para novas reuniões que garantam ações concretas para a população santacruzense.

Além do prefeito Ivanildinho, estiveram presentes na reunião os vereadores Fábio Dias, Marco Celito, Tarcísio das Horteiras, Renato Locutor, Jackson Renê, Paulo Cesar Beju, João Victor e Dr. José Francisco. 









Prefeitura de Santa Cruz iniciou nesta terça-feira (28) o pagamento dos servidores municipais;confira o calendário



A Prefeitura de Santa Cruz iniciou nesta terça-feira (28) o pagamento dos servidores municipais.

Mesmo em um cenário de dificuldades financeiras em todo país, a Prefeitura cumpre com o pagamento de seus servidores.

Serão 4 dias de pagamento para evitar aglomerações na agências bancárias.

Confira o calendário de pagamento dos servidores municipais:

1º DIA 28/04/2020 Servidores da Secretaria de Saúde, incluindo os Programas ESF, PACS, Agentes de Endemias e Saúde Bucal

2º DIA 29/04/2020 Servidores da Secretaria Municipal de Educação
Servidores dos Programas da Assistência Social (CRAS, CREAS, Bolsa Família, Serviço de Convivência e Criança Feliz)

3º DIA 30/04/2020 Servidores das Secretarias de Administração, Finanças, Tributação, Licitações e Contratos, Gabinete do Prefeito, Assistência Social, Controladoria, Agricultura, Planejamento, Turismo, Transportes e Obras Públicas.

4º DIA 01/05/2020 Professores do Ensino Infantil e Fundamental




Coronavírus: sobe para 03 número de casos confirmados em Jaçanã-RN; são 16 casos na Região do Trairi







Santa Cruz: Caixa registra aglomerações de pessoas na manhã de hoje (28)


Apesar dos 10 casos de Coronavírus confirmados, na cidade, a Caixa Econômica Federal de Santa Cruz-RN, registrou aglomerações de pessoas por volta das 9 horas na manhã desta terça-feira (28).

A procura das pessoas na agência continua sendo pelos benefícios da Bolsa Família e auxilio emergencial.

Pelas imagens, percebesse que várias pessoas não fazerem uso da máscara, mas a partir de amanhã será obrigatório o uso na cidade. 




AGROTRAIRI: VENHA NOS CONHECER   E SE SURPREENDA

Disque Prevenção ao Coronavírus totaliza 1.430 atendimentos em um mês


Após completado um mês desde que foi implantada, a Central de Atendimento “Disque Prevenção ao Coronavírus” alcançou um total de 1.430 ligações recebidas. Em funcionamento desde o dia 26 de março, o serviço presta esclarecimentos sobre o novo coronavírus para quem tiver dúvidas sobre a doença, além de oferecer serviço de acolhimento psicológico e orientações relacionadas aos programas de doações no âmbito estadual.
O serviço de teleatendimento ocorre diariamente, das 7h às 23h, inclusive aos finais de semana, pelo telefone (84) 3190-0700, e está disponível para todo o território potiguar. Em abril, também passou a oferecer atendimento virtual por meio do aplicativo Whatsapp. Nesse caso, o interessado deve adicionar o número à sua lista de contatos e iniciar uma conversa ou enviar uma mensagem diretamente por meio do WhatsApp Web, pelo link https://wa.me/558431900700.

A ação é uma iniciativa conjunta do Governo do Estado, por meio das Secretarias de Saúde Pública (Sesap); Administração (Sead); Trabalho, Habitação e Assistência Social (Sethas); e Mulheres, Juventude, Igualdade Racial e Direitos Humanos (Semjidh), com a UFRN, UnP e Unifacex, além do apoios da Secretaria Municipal de Saúde de Natal, Instituto Bem-Te-Vi, Escola Brasileira de Psicanálise e Interjato Soluções.
Informações e esclarecimentos sobre a doença
A maioria dos atendimentos recebidos foram relacionados a busca de informações por pessoas com dúvidas sobre a Covid-19. São comuns, por exemplo, questionamentos sobre vias de contágio, higienização, grupos de risco, medidas de prevenção e isolamento, necessidade de ir ao hospital, modificações na rotina dos serviços gerais, precauções que podem tomar dentro de casa, entre outros.
Nesse serviço, atuam mais 400 voluntários, entre servidores públicos, professores e estudantes integrantes do Programa de Educação pelo Trabalho para a Saúde (PET-Saúde/UFRN). Os atendentes, que recebem as demandas e prestam os esclarecimentos à população, se alternam em plantões e são formados, na maioria, por graduandos da área da Saúde. Eles são orientados pela equipe de tutores, composta pelos professores e profissionais formados da área médica, que são responsáveis por repassar informações atualizadas, decretos e portarias, normas regulamentadoras e boletins diários.
“Cada pessoa tem uma história, uma necessidade diferente. Procuramos deixá-las bem à vontade para perguntar e tentamos ouvir com calma e atenção para criarmos uma relação de confiança. Ainda é uma situação nova, as pessoas estão cheias de dúvidas, receios. Por isso, tentamos acolher da melhor forma possível”, afirma a voluntária atendente Brenda Carlos, aluna do 6° período de Odontologia da UFRN.
Acolhimento psicológico
Com o intuito de ouvir quem precisa de um apoio emocional durante a pandemia, o serviço de acolhimento psicológico também está disponível via Disque Prevenção ao Coronavírus, este exclusivamente via ligação telefônica. A equipe de atendimento é composta por dezenas de psicólogos e psicanalistas voluntários do estado, entre professores, profissionais autônomos e aposentados, que se revezam em sistema de plantões e ficam à disposição para ouvir as pessoas.
“O objetivo do acolhimento psicológico é dar esse apoio, escutar o outro, ajudar numa situação de ansiedade, pânico, entre outros problemas que possam vir a acontecer devido ao isolamento e o medo do vírus”, destaca a psicóloga e coordenadora de Saúde Mental da Sesap, Ana Eloá.




A imagem pode conter: texto

88,3% dos pequenos empreendimentos do RN reduziu o faturamento depois do coronavírus


A pesquisa também ratificou a dificuldade financeira em que se encontram os pequenos negócios no Rio Grande do Norte. 88,3% dos empreendimentos de pequeno porte verificaram uma redução no faturamento mensal depois do advento do coronavírus. E o déficit nas caixas registradoras não é baixo.

A redução média de receitas é superior a 67% quando comparado ao que era faturado em períodos antes da crise. O impacto foi maior entre os MEIs e os proprietários de empresas de pequeno porte – aquelas com faturamento anual entre R$ 360 mil e R$ 4,8 milhões.

Demissões

O Sebrae verificou ainda os reflexos da crise no quadro de funcionários dos pequenos negócios, que tiveram de se virar para manter o nível de empregados. Segundo a pesquisa, 78% das 235 empresas ouvidas e que tinham pessoas empregadas não demitiram. No entanto, tomaram medidas, como dar férias coletivas (29,7%), suspensão do contrato de trabalho (20,4%) ou redução da jornada de trabalho com redução de salários (15,7%).

Já 22% que tiveram de dar as contas dos colaboradores – uma média de quatro empregados por negócio. Porém, 71% desses empreendedores pretendem recontratar o corpo funcional depois da crise. Pela pesquisa, as demissões foram mais frequentes em empreendimentos do setor industrial (35,7%) do que no comércio e serviços – setores mais afetados com as medidas de restrição – com taxas de 15,1% e 12,2% respectivamente.

Em relação ao crédito, a sondagem mostrou que somente 14,1% dos empresários do Rio Grande do Norte buscaram empréstimos, principalmente para quitar as contas (21,2%) e pagar a folha de funcionários (21,2%). Em média, os empréstimos solicitados giraram na ordem de R$ 68 mil. Desse contingente de empresas em busca de crédito, somente 29,4% conseguiu o recurso. Os demais ou voltaram sem o dinheiro (33,3%) ou ainda estão aguardando uma resposta da instituição financeira (37,2%). O Banco do Brasil foi o mais procurado pelos empreendedores pesquisados, seguido do Banco do Nordeste e depois a Caixa.






Em um mês, coronavírus matou mais que dengue e chikungunya juntas em dois anos no RN



Há um mês o Rio Grande do Norte registrava o primeiro óbito causado pelo novo coronavírus (Covid-19). Desde 28 de março, quando a morte do professor universitário Luiz di Souza foi confirmada em Mossoró, a doença interrompeu as histórias de mais 44 pessoas no estado, até a manhã desta terça-feira (28).

Em um mês, o novo coronavírus fez mais vítimas que a dengue e a chikungunya juntas somando os anos de 2018 e 2019: foram 45 mortes por Covid-19 contra 43 causadas pelas duas arboviroses no Rio Grande do Norte. No intervalo de 31 dias, o novo vírus também matou mais que a dengue em três anos. Os dados são da Subcoordenadoria de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Suvige/Sesap).

“Um fato que ficou muito claro nessa pandemia foi exatamente esse surto de mortes porque temos também uma epidemia de mortes. A mortalidade é absurda. Ter no RN mais mortes por coronavírus em um mês, do que nós tivemos em dois anos juntando as arboviroses – que das doenças infecciosas são as mais agressivas aqui no nosso meio – só mostra para nós que precisamos nos preocupar”, comentou a infectologista Marise Freitas.

No RN, a taxa de letalidade calculada pelo Ministério da Saúde para a dengue é de 0,02%, com base nos sete óbitos registrados entre os 32.004 casos prováveis da doença ao longo de todo o ano de 2019. Utilizando o mesmo recorte para a chikungunya, a taxa de letalidade é um pouco maior: 0,08%. Já a Covid-19 tem uma taxa de mortalidade 270 vezes maior do que a da dengue no ano passado (5,41%): foram 45 mortes entre as 832 confirmações do vírus.

“A gente vê doenças diferentes e com letalidades diferentes e com isso nós podemos ter uma ideia da gravidade que é essa Covid-19. Esse registro de que há mais mortes por coronavírus em um mês do que a dengue em três anos é preocupante e ajuda a entender a gravidade do problema, sobretudo porque estamos no começo da curva”, destacou o médico epidemiologista Ion Andrade.


A infectologista e professora do Departamento de Infectologia da UFRN, Marise Costa, alerta para a agressividade do novo coronavírus, que causa danos em todo o organismo. “Diferentemente de outros vírus respiratórios, a Covid-19 não causa danos só nas vias aéreas, mas também no sistema vascular, no sistema imunológico e também provoca alteração intestinal, ou seja, o vírus parece ser mais invasivo, mais agressivo do ponto de vista de adoecimento e portanto com um risco de morte maior”, complementa.

Ao todo são 62 mortes causadas pelas arboviroses – doenças transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypti – em três anos RN. Outros 17 óbitos estão sob investigação. Como comparativo, até esta terça (28), o Rio Grande do Norte tem 832 casos confirmados do novo coronavírus, 4.122 suspeitas, 73 pacientes internados com a doença e 45 mortes confirmadas, além de outras sete em apuração.






Secretaria de Saúde de Mossoró confirmama 12ª morte por Covid-19


A Secretaria de Saúde de Mossoró registrou, na madrugada desta terça-feira (28), mais uma morte provocada pelo novo coronavírus.

A vítima é uma mulher, de 67 anos, com diabetes e doença renal crônica. Ela deu entrada em um hospital privado no dia 20 deste e teve a confirmação da doença por exames em 23 de abril.

Com o novo óbito, o município já soma 12 mortes em decorrência da Covid-19.




A imagem pode conter: texto

Agência de saúde dos Estados Unidos lista seis novos sintomas da covid-19

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC, na sigla em inglês) acrescentou seis novos sintomas do novo coronavírus à sua lista, sugerindo que especialistas em saúde estão aprendendo mais sobre as diversas maneiras pelas quais os médicos veem o vírus afetando os pacientes.

Os novos sintomas que têm sido identificados cada vez mais podem aparecer de dois a 14 dias após a exposição ao vírus. São eles: arrepios, tremor repetitivo com arrepios, dor muscular, dor de cabeça, dor de garganta e nova perda de paladar e olfato. Antes, o CDC tinha listado apenas três sintomas conhecidos: falta de ar, tosse e febre.

Mario Ramirez, ex-diretor interino do Escritório de Pandemias e Ameaças Emergentes do governo de Barack Obama, disse ao jornal Washington Post que a frequência de sintomas em novas doenças muda com o tempo, mesmo com doenças recorrentes como a gripe. As recentes adições de sintomas, disse ele, refletem a confiança do CDC em afirmar: "podemos dizer com segurança que esses seis sintomas acompanham a covid-19".

Ramirez, que também é médico de pronto-socorro, disse que a confiança decorre em parte do crescente número de pacientes que estão sendo tratados da covid-19 nos Estados Unidos. As tendências locais nos sintomas, em conjunto com dados de outros países, permitem à agência de saúde apresentar informações que capturam o segmento certo da população para testes, acrescentou.

"Você não quer listar vinte e poucos sintomas, especialmente se metade da população tiver esses sintomas", afirmou o especialista. "Você está tentando equilibrar a segmentação certa de pessoas para testar, por isso tem de ser específico."
Sabe-se que a perda de olfato e paladar aparece em pacientes desde, pelo menos, meados de março, quando um grupo de médicos britânicos especialistas em ouvido, nariz e garganta publicaram uma declaração em meio à crescente preocupação de que esse poderia ser um sinal precoce de que alguém está infectado, mas assintomático.

Um estudo realizado com pacientes europeus diagnosticados com covid-19 descobriu que entre 85,6% e 88% deles "relataram disfunções olfativas e gustativas, respectivamente". Em um estudo iraniano, 76% das pessoas com a doença que relataram perda de olfato disseram que o sintoma teve um início repentino. Em muitos casos, a anosmia, como é chamada a perda parcial ou total de olfato, apareceu antes de outros sintomas.

"O que acontece com a perda do olfato é que você perde o sabor ", mas não o gosto, disse Jo Shapiro, professor de otorrinolaringologia da Harvard Medical School. Embora não esteja listada no site do CDC, a fadiga também foi relatada por pessoas que tiveram um teste positivo ou disseram que podiam ter covid-19 quando o teste não estava disponível.

Os sintomas recém adicionados tornarão mais fácil para as pessoas saberem quando solicitar um teste, disse Ramirez, e isso pode ajudar os médicos a determinar quando os pacientes precisam ser testados ou, pelo menos, dizer que eles podem ter a doença e precisam se isolar.
O CDC continua recomendando o gerenciamento de sintomas em casa, a menos que incluam dificuldade em respirar, dor persistente ou pressão no peito, confusão ou incapacidade de despertar ou lábios ou rosto azulados.





Rua: Cel. Ivo Furtado - Centro, Santa Cruz/RN
Próximo ao BR EXPRESS