MARMORARIA GRANFORTH

Vintz

CURTA NO FACEBOOK!




terça-feira, 22 de novembro de 2016

Em combate à pornografia infantil, PF cumpre cinco mandados no RN

(Foto: PF/Divulgação)
Polícia Federal recolheu material durante mandados de busca e apreensão 
 
Operação Darknet II foi deflagrada nesta terça (22) a partir do RS.
Agentes federais também cumprem mandados em outros 14 estados.
 
A Polícia Federal cumpriu na manhã desta terça-feira (22) na capital potiguar e nas cidades de Monte Alegre e São José de Mipibu, ambas na Grande Natal, cinco mandados de busca e apreensão contra quatro pessoas suspeitas de integrarem uma rede de pornografia infantil.

Os mandados fazem parte da Operação Darknet II, visando confirmar a identidade de suspeitos, bem como, levantar dados que corroborem as provas já existentes dos crimes de exploração sexual praticados contra crianças e adolescentes através do armazenamento, produção e compartilhamento de material contendo cenas de pornografia infantojuvenil.

A Operação Darknet II foi deflagrada a partir do Rio Grande do Sul e, além de cumprir mandados no RN, também cumpriu ordens judiciais em outros 14 estados.

A primeira fase da operação aconteceu em outubro de 2014, quando Polícia Federal rastreou o ambiente conhecido como Deep Web em investigações de combate à pornografia infantil, considerado até então um ‘meio seguro’ para que usuários da internet divulgassem anonimamente conteúdos variados que impossibilitavam a identificação do ponto de acesso (IP) e ocultavam o real usuário que acessava a rede.

Através de metodologia de investigação inédita, a PF conseguiu quebrar esse paradigma e, já naquela oportunidade, identificou quase 100 usuários que compartilhavam pornografia infantil, quando apenas se tinha notícia de que as polícias dos Estados Unidos e da Inglaterra haviam sido capazes de investigar crimes praticados através da Deep Web. Ainda em 2014, um comerciário e um servidor público foram presos no RN.
 
 
 
Publicidade>>>
 
Compre Óculos de Várias Marcas e Modelos na ÓTICA UNIPLAN
Postar um comentário