VINTZ SANTA CRUZ/RN

MARMORARIA GRANFORTH

agro

CASA DOS CICLISTAS

CURTA NO FACEBOOK!




SANTA CRUZ CLÍNICA VETERINARIA

SANTA CRUZ CLÍNICA VETERINARIA

sexta-feira, 25 de setembro de 2020

NOVO ESTUDO COMPROVA QUE IVERMECTINA REDUZ CARGA VIRAL DE PACIENTE COM COVID-19

Está confirmado pela ciência: a ivermectina reduz a concentração viral de pacientes afetados pelo COVID-19 . A primeira etapa de um trabalho desenvolvido por cientistas argentinos é a primeira evidência científica disponível no mundo que consegue verificar o efeito dessa droga sobre o coronavírus no organismo de pacientes infectados. As informações são do jornal Clarín, da Argentina.

O resultado foi divulgado nesta quarta-feira (23) pelo Ministério da Ciência e Tecnologia. É uma experiência que começou há quatro meses e esteve a cargo de um consórcio público-privado liderado pelo cientista Alejandro Krolewiecki, do Tropical Diseases Research Institute da sede regional de Oran da Universidade Nacional de Salta (UNSa).

Os especialistas explicaram que a administração de ivermectina, na dose de 0,6 miligramas por quilograma de peso (três vezes a quantidade normalmente usada) "produz a eliminação mais rápida e profunda do vírus quando o tratamento é iniciado nos estágios iniciais da infecção ( até 5 dias a partir do início dos sintomas) ".

O estudo teve início no final de maio, após a seleção do consórcio entre os projetos do COVID-19 financiados pelo ministério. Neste caso, foram atribuídos quase 6 milhões de pesos para a realização dos ensaios, testes e avaliações. Os testes clínicos foram realizados em 45 pacientes com doença leve ou moderada em diferentes centros de saúde (CEMIC, Muñiz e Alta Cuenca de Cañuelas). Desse total, 30 receberam ivermectina em altas doses e o restante ficou como controle. Eles incluíram medições de segurança de medicamentos, quantificação de vírus em secreções respiratórias e níveis de ivermectina no sangue.

“Aqueles que receberam o medicamento apresentaram uma resposta antiviral significativamente diferente dos não tratados, o efeito foi evidenciado na diminuição mais profunda do vírus nas secreções”, explicou Krolewieky ao jornal Clarín . O pesquisador garantiu que “o mais relevante é que é o primeiro estudo que demonstra o efeito da ivermectina em pacientes. Em todo o mundo se esperava uma verificação para estabelecer se esse medicamento tem potencial para tratar pacientes com coronavírus”.

A ivermectina já passou de ovelhas para humanos. É usado há anos - entre outros - para parasitas, embora em doses menores. Por esta razão, o Centro de Pesquisa Veterinária da Universidade de Tandil (Civetan) também interveio no projeto, com uma longa história de conhecimento das propriedades farmacológicas da ivermectina.

O ponto de partida para essa experiência foi a publicação de um artigo elaborado por uma equipe australiana que demonstrou, em abril deste ano, um efeito do medicamento inibidor da replicação do vírus em condições de laboratório in vitro.

"Com base em nosso conhecimento da farmacocinética da ivermectina, projetamos um regime de tratamento de alta dose que foi a base de um ensaio clínico controlado com pacientes COVID-19 positivos", explicou Carlos Lanusse, diretor do Civetan.

O professor de farmacologia da Unicen, Adrián Lifchitz, foi responsável pela análise das concentrações de ivermectina em amostras de plasma de pacientes tratados no estudo. “Descobrimos que o medicamento produziu uma eliminação viral rápida do corpo e isso ajuda a reduzir a probabilidade de infecção.

O efeito que a ivemectina causa na taxa de desaparecimento do vírus depende da quantidade do medicamento que é absorvida (quantidade que entra no organismo), depois de tomado por via oral. Isso se torna uma prova de conceito de alto valor científico: confirma a necessidade de se utilizar doses superiores às tradicionalmente aplicadas " , disse o pesquisador do Conicet e membro do Civetan.

com informações de tribunadenotícias

Nenhum comentário: