CASA DOS CICLISTAS

VINTZ SANTA CRUZ/RN

MARMORARIA GRANFORTH

Museu Rural Auta Pinheiro Bezerra

CURTA NO FACEBOOK!




quarta-feira, 1 de dezembro de 2021

Rio Grande do Norte tem aumento de casos e mortes por Covid em novembro




O Rio Grande do Norte registrou um aumento de casos e mortes por Covid neste mês de novembro. Na comparação com outubro, o estado teve um crescimento de 58% na quantidade de pessoas contaminadas confirmadas e de 65% nos óbitos pela doença.

Nos 30 dias de novembro foram registrados 8.019 casos confirmados de Covid – em outubro foram 5.065. Já as mortes chegaram a 99 em novembro contra 60 nos 31 dias do mês anterior.

Os dados constam no boletim epidemiológico e nos dados divulgados diariamente pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) no acompanhamento da Covid-19 no RN.

Novembro teve o maior número de casos de Covid desde de julho, quando o estado registrou 19.500 infecções confirmadas pela doença. Quanto às mortes, é o maior registro desde agosto, quando foram confirmadas 174.

Apesar do crescimento, a quantidade de casos de novembro ainda fica abaixo do registrado entre janeiro e julho deste ano, num período mais crítico da pandemia.
Mortes por mês

O número de mortes em novembro foi maior do que em outubro e setembro, mas também segue abaixo dos períodos mais críticos da pandemia no ano, sendo o terceiro mês com menos mortes por Covid em todo 2021.

A redução é associada pelas autoridades ao avanço da vacinação. Segundo dados do RN+ Vacina, o estado tem atualmente 90% da população adulta com pelo menos uma dose e 79% com o esquema vacinal completo.
Internações

Apesar do aumento de casos e mortes, o estado fechou o mês com menos pacientes internados nos leitos de UTI Covid nos hospitais públicos e privados.

No último dia de novembro, a Sesap apontou que 80 pacientes estavam internados, um número 23% menor do que os 104 registrado no último dia de outubro.

Segundo o Regula RN, a taxa de ocupação dos leitos críticos no estado é de 41%. No início de novembro, o estado voltou a ter uma ocupação acima de 50%, o que não acontecia desde julho.

G1RN




Nenhum comentário: