MARMORARIA GRANFORTH

Vintz

CURTA NO FACEBOOK!




quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

Em parceria com a UFRN, Rede e-Tec Brasil oferta cursos técnicos semipresenciais para todo território potiguar

Levar cursos técnicos gratuitos e de qualidade a lugares afastados dos grandes centros urbanos é um desafio complexo, mas necessário para o desenvolvimento socioeconômico dessas comunidades. Desafio esse que está sendo transposto pela Rede e-Tec Brasil, iniciativa criada em 2007 pelo Ministério da Educação (MEC) e da qual a UFRN faz parte desde 2012.

Concebida para fomentar a educação técnica e tecnológica a distância, a Rede tem expandido e interiorizado a oferta, democratizado o acesso a cursos técnicos de nível médio e oportunizado formação continuada para profissionais da educação.

Os cursos são semipresenciais. O aluno estuda através do Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA), adequando a rotina de estudos ao seu cotidiano, e conta com a estrutura do polo de apoio presencial – local equipado com computadores e internet – e com o acompanhamento de tutores e professores.

Com os cursos da Rede e-Tec Brasil, não é mais necessário que jovens e adultos saiam do seu lugar de origem para estudar em municípios maiores. Eles podem continuar desenvolvendo suas atividades cotidianas e mesmo assim se qualificar profissionalmente para depois atuarem na própria comunidade. Profissionais da educação também podem incrementar sua formação através de cursos específicos direcionados para sua função através do Programa Indutor de Formação Profissional em Serviço dos Funcionários da Educação Básica Pública (Profuncionário).

Coordenado pela Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ) em parceria com a Escola de Saúde (ESUFRN) e com o Instituto Metrópole Digital (IMD), o programa está presente em 32 municípios potiguares: Acari, Angicos, Apodi, Areia Branca, Assu, Caicó, Caraúbas, Ceará-Mirim, Currais Novos, Goianinha, Ipanguaçu, Itajá, Jaçanã, João Câmara, Lajes, Macaíba, Macau, Martins, Monte Alegre, Mossoró, Natal, Nova Cruz, Pau dos Ferros, Parelhas, Parnamirim, Santa Cruz, São Gonçalo do Amarante, São João do Sabugi, São José de Mipibu, São Paulo do Potengi, Touros e Vera Cruz.

Até o início de 2017, mais de 3 mil jovens e adultos foram beneficiados através dos nove cursos regulares (Agroindústria, Comércio Exterior, Cooperativismo, Agropecuária, Apicultura, Aquicultura e Manutenção e Suporte em Informática), dos três cursos pelo Profuncionário (Alimentação Escolar, Multimeios Didáticos e Secretaria Escolar) e dos dois cursos pelo Programa Idiomas Sem Fronteiras (Inglês e Espanhol).

A partir do segundo semestre de 2017, a Rede foi ampliada com a oferta de cursos do MedioTec EaD, destinados a mais de 4 mil jovens de 15 a 19 alunos regularmente matriculados no Ensino Médio da rede públicas de educação. São oferecidos 16 cursos a distância com encontros presenciais: Administração, Agroindústria, Agronegócio, Automação industrial, Contabilidade, Cooperativismo, Eletrônica, Finanças, Gerência de Saúde, Informática para Internet, Logística, Manutenção e Suporte em Informática, Programação de Jogos Digitais, Qualidade, Química e Redes de computadores.

Este ano, a Rede e-Tec Brasil comemora uma década de atuação em todo o país e ganha novas perspectivas. O marco comemorado no dia 21 de novembro na Reunião dos Dirigentes das Instituições Federais de Educação Profissional e Tecnológica (Reditec 2017) realizada em João Pessoa/PB, contou com a presença de uma comitiva da UFRN.

O programa passa por transformações importantes para continuar oportunizando qualificação gratuita. A UFRN tem papel ativo nessas discussões, visto que o Fórum Nacional de Coordenadores Gerais da Rede e-Tec Brasil (FNETEC) é presidido pelo professor Ivan Max Freire de Lacerda, coordenador geral da Rede na instituição.

Criado para dar mais voz e visibilidade aos pleitos dos gestores da Rede, o Fórum tem promovido diálogos e conseguido avanços importantes para o Programa. Formado por representantes das diversas instituições ofertantes de educação técnica, funciona como interlocutor junto à Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (SETEC/MEC) contribuindo para o alinhamento das políticas, ações e gestão.

O presidente do FNETEC destaca a importância da articulação que a Rede proporciona. “Celebrar os primeiros dez anos da Rede e-Tec Brasil é reconhecer o êxito de um programa educacional que consegue alcançar, com educação profissional e tecnológica pública, gratuita e de qualidade, comunidades rurais, indígenas, quilombolas, assentamentos de reforma agrária e periferias dos grandes centros. Esse público não seria atendido nas suas necessidades de formação profissional caso a Rede e-Tec não existisse”, pondera Max Lacerda.

Para o professor, é conhecido que nas instituições ofertantes há pessoal capacitado em Educação a Distância de nível técnico e tecnológico. “Capacitados não só na experiência, mas também na reflexão crítica sobre uma EaD de nível técnico com mais qualidade, mais inclusão”, afirma.
 
 
 
Publicidade>>>
 
Fotos da inauguração da Imperium Recepções e Eventos- VEJA MAIS CLICANDO NO BANNER
Postar um comentário